17/05/2018

Pernambucano aceito com mais de 90% de bolsa para estudar nos EUA

"Estudar fora não deve ser a sua meta final. Pergunte a si próprio: qual o meu papel no mundo?
A universidade é apenas o meio de atingi-lo."
                                                                                                                              - Vinícius Freitas

Estudar no exterior é um sonho de muitas pessoas, pois é uma janela de oportunidades que enriquece a jornada de qualquer estudante que se dedica a essa experiência transformadora. Para chegar lá, existem diferentes caminhos a serem trilhados, e a jornada de candidatura é intensa e requer bastante preparo até o recebimento da carta de aceite. Acreditamos que histórias de inspiração são importantes incentivos para aqueles que buscam por uma experiência internacional, e por isso, trazemos hoje uma entrevista com um aluno brilhante que sonhou alto e se dedicou a alcançar oportunidades além das fronteiras.

Perfil do entrevistado: Vinícius Freitas nasceu no interior do sul do Brasil e ainda bem cedo se mudou para Recife, metrópole nordestina que lhe apresentou sonhos que hoje se tornaram realidade: ser aceito por uma das melhores universidades do mundo. Seu amor pelo conhecimento seguiu-o ao longo de sua vida acadêmica e pôde ser visto por sua desenvoltura em olimpíadas científicas e em conferências temáticas, trabalhos voluntários, habilidades de liderança e engajamento ativo pelo conhecimento. Aos dezoito anos, o jovem reúne participações em programas renomados como o EF Youth Leadership Forum 2016 (Rio de Janeiro) e o Yale Young Global Scholars 2017 (Universidade de Yale, EUA), além de sua aceitação para estudar na Tufts University (EUA) com mais de 90% de bolsa e sua classificação em 3º lugar na Universidade Federal de São Paulo no curso de Relações Internacionais. Vinícius Freitas é um cidadão global que demonstra sua vontade criar um impacto positivo em todo o mundo.


 ENTREVISTA:

GlobEducar / EducationUSA: Quando você decidiu fazer graduação fora do Brasil?

Vinícius Freitas: Decidi que queria estudar fora na metade do 9º ano, quando tinha 14 anos e havia ingressado no programa High School do Colégio Damas.


Você contou com o apoio da GlobEducar. Como foi essa preparação?

Aconteceu através de reuniões que ocorreram durante o último ano do Ensino Médio com especialistas em educação no exterior da ABA GlobEducar (Danyelle e Débora). Desde aconselhamentos e revisão de textos até a escolha das universidades, esse suporte foi essencial para a minha estratégia de candidatura. Sou imensamente grato pela atenção e cuidado desse time.

Você participou de algum programa fora do Brasil antes de se candidatar para a graduação?

Sim. Yale Young Global Scholars, programa de verão oferecido pela universidade de Yale.

Em que atividades extracurriculares você se envolveu durante o ensino médio?

Estudei matérias do currículo americano através do programa High School do Colégio Damas; criei um clube de debates na minha escola e administrei outros em diferentes estados do Brasil em nome da organização Internationali Negotia; participei e ganhei prêmios em Simulações das Nações Unidas; participei e ganhei prêmios em Olimpíadas Científicas das mais diversas áreas; cursei aulas de alemão; fui membro do time de natação do colégio; participei e fui mentor do programa da ABA: MIT Global Teaching Lab; realizei atividade comunitária como professor; e fui voluntário na Habitat para a Humanidade durantes as minhas férias.

Como foi a sensação de ser aceito?

Foi a realização de um sonho, não apenas de quatro anos, mas de uma vida toda. O sentimento de dever cumprido deu origem a objetivos ainda mais ambiciosos. Estudar em uma universidade de excelência, para mim, é o primeiro passo em direção à mudança que eu quero fazer no mundo

Que dicas você daria para aqueles que estão querendo fazer graduação fora do Brasil?

  1. Encontre a sua paixão. As universidades estão procurando por pessoas interessantes, que sejam apaixonadas por algo e provem que são capazes de se dedicar por aquilo que acreditam. 
  2. Seja autêntico. Busque atividades que revelem quem você é, ao invés de tentar fazer o contrário.  
  3. Defina um objetivo GRANDEEstudar fora não deve ser a sua meta final. Pergunte a si próprio: qual o meu papel no mundo? A universidade é apenas o meio de atingi-lo.
  4. Olhe para dentro. O processo seletivo é muito introspectivo e uma verdadeira jornada de auto-conhecimento. Esse processo me transformou e acredito que todos os jovens deveriam viver essa experiência, ainda que desejassem estudar no Brasil. 
  5. Foque! Relembre todos os dias o seu objetivo e não se distraia com conformismos do dia-a-dia.

---

E se você assim como Vinícius Freitas que ampliar suas chances de aceitação em universidades do exterior, vem ser orientado por nossas consultoras da GlobEducar / EducationUSA, onde podemos melhor te preparar para seu intercâmbio internacional em instituições de ensino superior.